Artigo | Turnaround no mercado imobiliário. Você está preparado?

Clipping | “Construtechs” vão tentar transformar a construção
7 de maio de 2019
Clipping | Caminho para o setor é a imersão tecnológica
28 de maio de 2019

*Telmo Bauler (LinkedIn – 13/05/2019)

Modelos de negócios disruptivos têm gerado impacto significativo no mercado imobiliário. Com o surgimento das startups, empresas consideradas sólidas na área de incorporação, venda, locação e administração de imóveis e condomínios passaram a perceber possíveis ameaças de ruptura em suas estruturas organizacionais. No centro de seu radar corporativo pensar estrategicamente se impõe, urgentemente, para empresas que querem ser parte da transformação digital.

Nesse cenário, alguns gestores iniciaram discussões em torno do movimento de turnaround (ou virada) em suas organizações para entrarem, de uma vez por todas, nesse jogo, já que não tem mais volta.

A partir disso surgem as questões:

  • Como recolocar as empresas no caminho do crescimento?

A resposta pode ser: por meio da implementação de uma reestruturação profunda nos negócios.

  • Mas como fazer essa virada?

Primeiro é preciso compreender, claramente, a situação em que a empresa se encontra e agir rapidamente. Não podemos esperar que condições externas mudem para tomarmos atitudes efetivas. Uma liderança transformadora e proativa será necessária para implementar ações, redefinir o foco estratégico, o perfil dos clientes e as regiões de atuação; discutir produtos e serviços prestados e os nichos atendidos. A partir disso é necessário reestruturar áreas de negócio e de apoio visando, também, reduzir custos e, principalmente, simplificar rotinas de trabalho.


Um programa de turnaround exige melhoria rápida na redução de custos, o que significa mudar o modelo operacional atualmente aplicado.

Por fim, urge investir maciçamente em novas tecnologias com foco na transformação digital das empresas quebrando resistências internas e direcionando as lideranças para a construção de uma nova cultura organizacional.

Em momento de eminente disrupção, essa “grande virada” pede agilidade, inovação e flexibilidade cognitiva, ou seja, pensamento rápido e maleável e “mente aberta”. Essas ações são imprescindíveis para mudar o mindset e competir na “arena” atual. Essa equação resume o caminho para chegarmos aos resultados:


MKT (MQL/SQL) + CRM + ERP + BPM +
ECM + BI/BD = RESULTADO E PERENIZAÇÃO

MTK (MQL/SQL– Marketing Qualified Leads e Sales Qualified Leads) – Queira ou não o marketing da sua empresa terá de migrar para o digital com conteúdo relevante para os leads (candidatos a serem seus clientes) sabendo diferenciar MQL’s de SQL’s (candidatos qualificados para marketing ou vendas)

CRM (Customer Relationship Management) – Gerenciamento do Relacionamento com clientes. Não é mais possível que empresas atuem sem uma plataforma tecnológica para gerenciamento de novos clientes bem como a fidelização e retenção de carteiras e contas.

ERP (Enterprise Resource Planning) – O “coração do business” – um sistema integrado que automatiza processos para gestão empresarial reunindo atividades comerciais, administrativas, financeiras, contábeis, fiscais, estoque, compras, recursos humanos, produção e logística.

BPM (Business Process Management) – Gestão de Processos de Negócios – Integração de pessoas, conteúdo e aplicações empresariais (capital intelectual), combinando processos e equipes interdependentes para definir e modelar padrões, otimizar, testar, distribuir, executar e monitorar as atividades.

ECM (Enterprise Content Management) – Gestão de Conteúdo Empresarial – A gestão de conteúdo corporativo necessita de uma plataforma que garanta o gerenciamento de documentos e registros, fluxos de trabalho, pesquisas e arquivamentos, além de aplicações específicas como gestão de contratos imobiliários e de documentos dos clientes, integrando, em um único ambiente para captura, a gestão, a entrega e a retenção de conteúdo empresarial.

BI/BD (Business Intelligence / Big Data ) – Inteligência de Negócios / Grande Conjunto de dados – Para tomar decisões precisamos coletar, organizar e analisar dados através de relatórios gerenciais ou dashboards. Através de dados concretos com base em fatos podemos gerenciar, controlar e medir o desempenho da empresa para planejar as mudanças necessárias sem “achismos”. O objetivo é obter uma plataforma que combine essas forças (BI/BIG DATA) para entregar a informação certa no volume, velocidade e variedade para as pessoas certas, gerando assim o aprendizado e inovação.

Em suma, para atingir os melhores resultados e a tão almejada perenização no mercado é preciso unir ferramentas tecnológicas e de gestão para viabilizar os quatro pilares empresariais: Evolução Digital, Cliente no Centro, Eficiência Operacional e Gente.

Quer ajuda para entender melhor como equacionar essa “sopa de letrinhas”? Terei prazer em responder: telmo@bauler.com.br.


*Telmo Bauler (CRA/RS 001285) – diretor da Bauler Assessoria Organizacional empresa com 20 anos de atuação nos diversos segmentos da indústria imobiliária. Especialista em Negócios Imobiliários/Construção Civil e Melhoria da Qualidade. Consultor em Gestão Empresarial, Mentor do Founder Institute, em SP – maior programa de aceleração Carly stage e lançadora de startups do mundo. Com vivência e conhecimento das diferenças setoriais e culturais do setor nas regiões Sul e Sudeste.

A Bauler Assessoria Organizacional foca, exclusivamente, na indústria imobiliária, apoiando organizações para a construção de negócios sustentáveis por meio do aperfeiçoamento da gestão empresarial das empresas-clientes (gestão estratégica, de pessoas e de processos). Entre seus clientes estão administradoras de condomínios, bens e propriedades imobiliárias; imobiliárias e empresas que praticam corretagem de aluguéis, compra e venda de imóveis; incorporadoras e construtoras de empreendimentos imobiliários; organizações e entidades vinculadas ao mercado imobiliário. A Bauler é associada e possui parcerias com a FIABCI RIO, ABADI e AABIC/SP.