Indústria Imobiliária

 

A Indústria Imobiliária no Brasil

O mercado imobiliário mesmo com os reflexos diretos de crises econômicas ao longo dos anos segue em expansão e crescimento. É impressionante a evolução da indústria imobiliária no Brasil, uma das que mais gera inclusão social em nosso país. Com um déficit habitacional na casa de 6 milhões de residências a indústria imobiliária se impõe como uma prioridade à sociedade brasileira.

Comparando com outros setores da cadeia produtiva do país como por exemplo: comércio, indústria e serviço. É inegável a importância do setor para a economia brasileira.

Muitas empresas e profissionais do setor imobiliário estão investindo em capacitação contínua, acompanhando as tendências e usando novas tecnologias em sua gestão empresarial. Estes últimos anos estão diretamente relacionados com suprir a necessidade de aperfeiçoamento das organizações vinculadas ao setor, assim como o treinamento e capacitação de sua mão de obra.

 

Histórico da Incorporação Imobiliária:

A atividade de Incorporação Imobiliária ganhou estímulos com sua regulamentação através da Lei 4.591 de dezembro de 1964 e com a instituição do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), através da Lei 4.380 de agosto de 1964, porém a carência de garantias fortes aos empréstimos e a insegurança jurídica nas relações contratuais, afastaram investidores que garantissem o aporte de capital para os investimentos necessários no setor. O golpe final foi a extinção do Banco Nacional de Habitação (BNH) em 1986, grande financiador à época.

A partir de 1997, com a instituição do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), o mercado privado passou a atuar mais fortemente como agente financiador, graças à regulamentação e padronização das operações com o Crédito Imobiliário. Outros facilitadores foram a criação da Alienação Fiduciária e do Patrimônio de Afetação, com formas de garantir a recuperação de eventuais créditos colocados no mercado.

Fonte: Fundação Getulio Vargas – Viabilidade de Empreendimentos Imobiliários – Prof. Marcelo Maia de Sá.

 

Profissionalização nos diversos segmentos:

Assim como a Construção Civil, o setor imobiliário, representado pelas “atividades imobiliárias, aluguéis e serviços pertinentes” está cada vez mais exigente. Não há mais espaço para amadores. O surgimento das startups de tecnologia e a contínua aquisição de empresas familiares por grandes players do mercado imobiliário com gestão profissional desperta a atenção do empresário a analisar diferentes cenários, atualizar seus métodos de trabalho e mudar o perfil tradicional até então praticado. Por este motivo as Administradoras estão se aprimorando, assim como os condomínios que administram. As imobiliárias investindo cada vez mais em tecnologia e na qualificação de seus colaboradores e associados. Neste contexto, a inovação passou a ser fundamental, onde cada vez mais os empresários estão considerando atitudes orientadas pela vertente da modernidade, associado a busca de qualidade e produtividade.